Curta nossa página no facebook

Saiba o que bebês podem ou não comer.

Thinkstock


Alimentação infantil é um assunto delicado, que costuma gerar muitas dúvidas.

Perguntas que envolvem amamentação, introdução de alimentos sólidos e a consequência de algumas escolhas estão sempre rondando a cabeça dos pais.

Pesando em ajudar você a esclarecer estas dúvidas, o R7 foi conversar com Ary Lopes Cardoso, chefe da Unidade de Nutrologia do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas, e Fábio Ancona Lopez, professor de nutrologia da Unifesp, para tentar responder às perguntas mais frequentes dos adultos na hora de escolher os alimentos para dar às crianças.

Amamentação

O bebê deve ser exclusivamente alimentado com leite materno até os seis meses de idade. Caso a mãe ainda tenha leite, a criança pode mamar até os dois anos, mas neste caso a amamentação serve só como um complemento.

Caso a mãe apresente problemas e não consiga mais produzir leite materno, o ideal é substituí-lo por uma fórmula específica infantil. Encontrada em farmácias e supermercados, ela é uma espécie de leite em pó enriquecido com todos os nutrientes necessários para que aquela mistura se assemelhe ao máximo ao leite materno.

Alimentos Sólidos

A partir do 6º mês, os pais podem começar a introduzir papinhas, frutas amassadas e carnes desfiadas à alimentação da criança. A partir do 7º mês, os grãos como feijão e lentilha estão liberados e no 9º mês os peixes estão liberados. As crianças não devem consumir sal e gordura saturada em excesso.

Aprende a fazer a 1ª papinha do seu bebê
Imagem: todaperfeita.com.br
Pouco tempo depois, a criança pode comer todos os tipos de alimento, mas vale lembrar que nesse período a mastigação ocorre nas gengivas, por isso alimentos muito duros serão impossíveis dos pequenos consumirem.

Papinhas industrializadas

 As papinhas industrializadas podem parecer uma solução prática na hora de dar comida para as crianças e, segundo Ary Lopes Cardoso, estas papas são perfeitas do ponto de vista nutricional. No entanto, Fábio Ancona Lopez faz uma ressalva.

- As papinhas devem sem usadas somente em emergências. Se forem usadas em excesso, a criança pode ficar acostumada com elas e apresentar resistência em comer outro tipo de alimento.

Quantidade

Como os adultos, as crianças também devem comer várias vezes ao dia. Um pequeno lanche entre as três grandes refeições é o ideal para manter o seu bebê bem alimentado durante todo o dia.

Resistência

Agora, se o seu filho apresenta problemas na hora das refeições e se recusa a comer tudo que é considerado saudável, a dica é uma só: não force. A criança deve ser apresentada a todos os tipos de alimento desde cedo, por isso é importante variar nos ingredientes do prato sempre, assim ela criará bons hábitos alimentares e aprenderá a comer de tudo.

Diet e Light

Se você costuma consumir estes alimentos com frequência, saiba que não é uma boa ideia inserí-los na alimentação do seu filho, como explica Ary Lopes Cardoso.

- Os produtos light e diet deixam a alimentação do seu filho incompleta.

Açúcar

O açúcar deve ser evitado ao máximo na alimentação de qualquer pessoa, especialmente na das crianças. Além de poder causar cáries e contribuir para a obesidade infantil. O excesso de doces sobrecarrega as funções do organismo e pode piorar a predisposição genética para desenvolver doenças como a diabetes.

Evitar

Alguns alimentos devem ser evitados durante a infância, por isso não devem fazer parte da alimentação do seu filho. São eles: enlatados, embutidos, corantes e alergênicos (frutos do mar, soja, castanhas, nozes, ovos e leite de vaca até os três anos).
Suplementos
Muito cuidado na hora de complementar a alimentação do seu filho com achocolatados enriquecidos e farinha láctea por conta própria. Segundo Ary Lopes Cardoso, sem orientação médica estes produtos podem trazer riscos à saúde do seu filho, eles podem desenvolver problemas e ganhar peso em excesso.
Por tanto, nada de se consultar com as amigas e vizinhas. Nenhum suplemento deve ser ministrado sem necessidade e sem acompanhamento médico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Saiba mais clicando aqui

Leia mais!